São Paulo tem um novo Super-Herói!

Já imaginou como seria o Brasil se um surgisse um super-herói? O Cidadão Incomum, livro publicado pela Editora Conrad e escrito por este que vos fala, conta a história de Caliel, um jovem paulistano que acorda com poderes inacreditáveis e tem a (péssima) ideia de se tornar um super-herói.

O Cidadão Incomum está à venda nas melhores livrarias do Brasil. Smile

OCI–Na Tv (ATUALIZAÇÃO)

1979466_610552015704647_307164711_nNo (novo) site d´O Cidadão Incomum, resumimos todas as informações sobre a série animada derivada do livro. Os principais personagens, algumas tramas, tudo o que você precisa saber para ficar ligado neste projeto inédito em terras tupiniquins! 

baner-serie

OCI, A Série–Novo Cartaz

1798590_617339638359218_1280876434_nSaiu ontem na nossa página do facebook mais uma arte misteriosíssima (para vocês) da série animada d´O Cidadão InComum, ilustrada por MJ Macedo.

No livro, exploramos como Caliel, uma pessoa como eu e você, reage ao ganhar poderes incríveis. Na série, focamos em como esses poderes podem transformar ou destruir a vida de pessoas que ele talvez nem conheça.

Ou seja, é muito pano pra manga.

E, se tudo der certo, ainda nessa semana a gente estreia o novo site. Sério, estou doido para que vocês vejam. Tá de tirar o fôlego até de maratonista. Aguardai-vos! 

Mais sobre OCI, a Série Animada

OCI_promo01     Escrevi aqui, coisa de uns dois ou três posts atrás, que estamos produzindo uma série animada baseada no livro O Cidadão InComum, cuja antiga capa você vê à direita da sua tela. Pois muito bem. A animação será feita em rotoscopia, quando as cenas, antes de animadas, são gravada com atores em estúdio. Legal, né? Mas dá um trabalho imenso.

     O enredo da série se passa entre o livro 2 e 3 da trilogia (ainda não publicados) do OCI (mas você não precisa ter lido os livros para acompanhar), e conta a história de Igor, um radialista da madrugada todo cheio de problemas, que se depara com um mundo que ele imaginava existir só nos quadrinhos.

    Igor será vivido por Renato Scarpin, um baita ator. O cara já trabalhou nas maiores emissoras de TV do Brasil (e ainda trabalha), e está há um tempão em cartaz com sua peça Engolindo Sapo Para Um Dia Comer Perereca.

     Nos ensaios pudemos ter uma ideia do calibre de nossos atores. Está incrível. Vamos apresentar um a um aqui. Então, acompanhe, seja aqui ou na nossa página oficial no facebook.

OCI Do Livro à Série Animada

1979466_610552015704647_307164711_nVocê tem um trabalho danado para publicar um livro. São anos e anos escrevendo, imaginando, reescrevendo, pesquisando, reescrevendo de novo. Erra-se muito antes de acertar. Mesmo assim, nunca vai saber se sua história é boa, se vão gostar. O máximo que se consegue é saber se ela funciona ou não.

O mercado editorial no Brasil é como qualquer mercado. É agressivo, difícil, sedutor. E tem exigido cada vez mais dos seus autores. Um escritor hoje em dia não pode mais se limitar a escrever. O cabra precisa saber se comunicar, pensar além, estudar seu público e, mais importante, saber a quem recorrer. Eu mesmo demorei para aprender isso. 

No final de 2012 publiquei o livro O Cidadão InComum, pela Editora Livre Expressão. Banquei uma tiragem de mil exemplares com um dinheiro que eu não tinha, pedi para um amigo querido montar a capa, e mandamos bala. Até ali, não sabia se a história de um ator paulistano que ganha super-poderes iria funcionar. Não sabia mesmo. Perdi noites de sono com isso. Mas, quando a primeira centena foi vendida, pensei, “bom, talvez esteja funcionando”. Quando a segunda centena se foi, me convenci mais. Assim, quando percebi que havia vendido mais de quinhentos exemplares em menos de quatro meses (sem que a obra estivesse nas melhores livrarias do mercado), botei meu livrinho embaixo do braço e corri atrás de pessoas que sabia que podiam me ajudar. Sério, eu enchi o saco delas. Queria uma segunda edição, fechar uma trilogia, histórias em quadrinhos, filme, quem sabe um game, tudo…

Muito sacrifício foi feito a partir daí. Horas e horas sentado na frente do computador. Horas e horas pensando em estratégias, reuniões, métodos… Criei parcerias incríveis com profissioais e empresas tops, e tivemos que pensar em tudo. Nova identidade visual, novas possibilidades de trama, quais produtos podemos criar, mil e uma variações, enfim… Tudo.

Amigos, distrações, diversão? Nem pensar! A minha sorte é que tenho uma mulher cabra macho, que segura as pontas comigo. Te amo, Juliana.

Eis então que, aos poucos, o OCI foi se tornando mais que um livro. Agora estamos produzindo a HQ, a trilogia de livros, o game e a SÉRIE ANIMADA! Isso aí, meus bravos. É bem provável que muita gente vá descobrir o O Cidadão InComum na TV, não nas livrarias. E os que o descobrirem nas prateleiras, vão correndo para a telinha, já que as histórias, apesar de escritas de forma independente, são sutilmente relacionadas. Ou seja, você pode ler os livros sem perder nada, ou pode só ver a série que também não sairá no prejuízo. Agora, quem acompanhar tudo, vai sair no lucro!

Fala sério. Quem poderia imaginar uma coisa dessas?

Agora, se você pensa que estamos comemorando, bebendo champagne, nã-na-ni-na-não! Nossa responsa aumentou. Nossa lista afazeres, idem. Sem pausa pro café aqui. 

Acompanhe nosso trabalho aqui. Logo, logo, nosso site oficial estará atualizado e mais lindo do que nunca. Até lá, vou postando as novidades e as artes aqui.

 

1904257_614303145329534_162949795_n